Longe do meu travesseiro

10 de fevereiro de 2012 § 1 comentário

Longe do meu travesseiro

Nem sempre eu me dou bem com gente

O café é mais amargo e menos quente

E da minha existência sou apenas um olheiro

 

Longe do meu travesseiro

Não sou tão amável

Sem paixão, a vida já não é mais palpável

E esqueço que já tive meus dias como guerreiro

 

Longe do meu travesseiro

O sol é mais forte

Não posso contar com a sorte

E, lá, no alto, a luz da lua é bloqueada pelo salgueiro

 

Longe do meu travesseiro

Desconheço os meus heróis

Me perco seguindo o brilho dos faróis

Viajo mais lento naquele velho veleiro

 

Longe do meu travesseiro

Eu teimo em sonhar com o amor

Com um ligeiro sorriso mascaro a minha dor

E sozinho, retorno praquele recanto, onde ainda sinto o seu cheiro

Anúncios

§ Uma Resposta para Longe do meu travesseiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Longe do meu travesseiro no Zapeando.

Meta

%d blogueiros gostam disto: